top of page

Aumentando a dopamina de forma natural

A dopamina é um dos neurotransmissores produzidos pelo nosso cérebro e é uma das substâncias químicas mais complexas. Descrita como hormônio do bem-estar, está associada a sensações positivas como prazer, euforia, concentração, motivação, luxúria e prazer.



  • O que produz a dopamina?


As partes do nosso corpo que tomam decisões e as que agem estão bem longe uma da outra, por isso, os neurotransmissores auxiliam na troca de informações do nosso organismo.


Os neurônios dopaminérgicos trabalham para sintetizar a dopamina, fazendo com que ela se torne um neurotransmissor.

Para isso, precisamos da matéria-prima da dopamina, a tirosina. E para ocorrer as trocas de informações, um neurônio libera os neurotransmissores para o outro.


  • Quais os sintomas da falta de dopamina?


Nos casos de níveis baixos de dopamina, pode-se ter:

fadiga, falta de motivação, prisão de ventre, dificuldade de engolir, mudanças de humor, baixa autoestima, problemas para dormir, prisão de ventre, depressão, baixa libido, pneumonia por aspiração ou até mesmo um comportamento viciante.


  • Principais causas:


Os baixos níveis de dopamina estão ligados a vários distúrbios da saúde mental, porém, não causam diretamente essas condições.


As condições mais comuns associadas incluem:

- Depressão

- Esquizofrenia

- Psicose (alucinações ou delírios inclusos)

- Doença de Parkinson


  • Como é feito o diagnóstico?


O diagnóstico da deficiência de dopamina não é tão fácil de se chegar, embora possível analisar seu nível através de exame de sangue, não é possível avaliar como o cérebro responde à dopamina. Também existem doenças que fazem com que o corpo não fabrique transportadores de dopamina.


Então é muito importante que, caso existam sintomas ou o paciente desconfie do quadro, seja procurado um médico para receber o tratamento adequado.

Importante lembrar que muitas doenças causadas pela falta de dopamina são tratáveis.


  • Como aumentar a dopamina de forma natural?


Pratique exercícios regularmente: estudos demonstram que há uma descarga de dopamina durante os exercícios;


Melhore seus hábitos de sono: dormir o suficiente e ter um sono adequado faz com que o corpo libere mais dopamina pela manhã;


Pratique atividades que você considera prazerosas: atividades relaxantes ou que o fazem feliz ajudam a combater a baixa dopamina;


Coma proteína: proteínas são constituídas de aminoácidos e um deles é a tirosina, ela desempenha um papel importante na produção de dopamina, pois é transformada em dopamina pelas enzimas do organismo;


Evite gordura saturada: muito presente nas carnes de origem animal, manteiga, laticínios etc., pode interromper a sinalização da dopamina no cérebro se consumida em grande quantidade;


Consuma probióticos: o intestino e o cérebro estão intimamente ligados, inclusive nosso intestino é chamado de segundo cérebro, pois nele contém inúmeras células nervosas produtoras de moléculas sintetizadoras de neurotransmissores, incluindo a dopamina. Algumas espécies de bactérias boas, chamadas de probióticos, vivem no intestino e são capazes de produzir dopamina;


Exponha-se ao sol: claro que sempre seguindo as diretrizes de segurança, a exposição ao sol aumenta os níveis de dopamina e melhora o humor;


Tome suplementos: o corpo precisa de várias vitaminas e minerais para produzir dopamina, como ferro, niacina, folato, vitamina B6, l-tirosina, 5-htp, magnésio, curcumina etc.;


Evite o consumo de açúcar: a sensação de felicidade ao comer seu doce preferido acaba se tornando um problema, pois quanto mais consumimos, mais desejamos. Ao diminuir o açúcar, também diminuímos os efeitos colaterais pós consumo;


Gerencie seu estresse: praticar técnicas como meditação, mindfulness e exercícios de respiração ajudam a diminuir o estresse crônico.


Conheça alguns suplementos que podem ajudar a aumentar sua dopamina:






0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Kommentare


WhatsApp
bottom of page